O guia final para obter usuários para criar conteúdo gerado pelo usuário

O conteúdo gerado pelo usuário é essencialmente qualquer conteúdo criado por colaboradores ou usuários não pagos. Pode incluir desde fotos, vídeos e postagens em blogs até depoimentos e comentários em fóruns de discussão.

Normalmente, o conteúdo gerado pelo usuário é criado ou enviado on-line, onde é facilmente compartilhado.

Mas por que o UGC é tão importante? E por que as corporações gastam milhões para tentar forçar os usuários a criar conteúdo gerado pelo usuário?

Bem, aqui está o porquê:

O conteúdo gerado pelo usuário permite que você crie interação com o cliente e transforme clientes satisfeitos em promotores. A mídia social é uma ótima ferramenta para reunir fotos, vídeos, tweets e postagens incríveis sobre sua empresa, produtos ou serviços.

Criar seu próprio "hub social" pode impulsionar as vendas para sua empresa.

Antes de decidir criar seu próprio hub social, é importante observar como outras empresas geraram e comercializaram com êxito o conteúdo gerado pelo usuário.

Abordagens ao conteúdo gerado pelo usuário

Existem quatro métodos pelos quais você pode classificar e avaliar o UGC: baseado na comunidade, baseado no usuário, baseado no designer e híbrido.

Aqui estão algumas definições padrão do que cada uma dessas abordagens são:

  • Abordagens baseadas na comunidade dependem do estabelecimento de uma verdade baseada na sabedoria da multidão em relação ao conteúdo de interesse. As avaliações fornecidas pela comunidade de usuários finais são utilizadas para classificar diretamente o conteúdo dentro do sistema em métodos centrados no ser humano. O método centrado na máquina aplica esses julgamentos da comunidade em algoritmos de treinamento para avaliar e classificar automaticamente o UGC.
  • As abordagens baseadas no usuário enfatizam as diferenças entre os usuários individuais, de modo que a classificação e a avaliação possam ser adaptadas de forma interativa ou personalizadas, de acordo com os requisitos específicos de cada usuário. A abordagem centrada no ser humano acentua as interfaces interativas onde o usuário pode definir e redefinir suas preferências à medida que seus interesses mudam. Por outro lado, as abordagens centradas na máquina modelam o usuário individual de acordo com o conhecimento explícito e implícito que é reunido através das interações do sistema.
  • As abordagens baseadas em designer usam principalmente métodos centrados na máquina para maximizar essencialmente a diversidade de conteúdo apresentada aos usuários, a fim de evitar restringir o espaço de seleções ou perspectivas de tópicos. A diversidade de conteúdo pode ser avaliada com relação a várias dimensões, como autoria, tópicos, sentimentos e entidades nomeadas.
  • As abordagens híbridas buscam combinar métodos dos vários frameworks para desenvolver uma abordagem mais robusta para avaliar e classificar o UGC. As abordagens geralmente são combinadas de duas maneiras: a abordagem baseada em multidões é geralmente usada para identificar conteúdo hiperlocal para uma abordagem baseada no usuário, ou uma abordagem baseada no usuário é usada para manter a intenção de uma abordagem baseada em designer.

Vamos mergulhar em alguns exemplos reais de como marcas bem conhecidas em todo o mundo incentivam os usuários a gerar UGC:

1) Burberry

A Burberry é uma empresa de roupas britânica fundada em 1856. A empresa decidiu lançar uma estratégia de conteúdo gerada pelo usuário como meta para mudar a marca da Burberry. A empresa lançou O site da Art of the Trench no 2009, onde os usuários podem fazer upload e comentar fotos de pessoas usando produtos da Burberry. As vendas de comércio eletrônico da Burberry aumentaram 50% ano a ano após o lançamento do site.

2) Coca-Cola

Para ajudar a aumentar a conscientização, a Coca-Cola criou a campanha “Compartilhe uma Coca-Cola”, na qual a empresa produzia garrafas de Coca-Cola com os nomes dos clientes nos rótulos. A empresa atribui a campanha para um aumento de 2% em todas as vendas nos EUA depois de mais de uma década de receitas em declínio.

3) T-Mobile

A T-Mobile encontrou uma ótima maneira de criar conteúdo gerado pelo usuário e, ao mesmo tempo, enviar uma chance aos concorrentes. Eles criaram um aplicativo que permitia que as pessoas "enviassem uma carta de rompimento" para as transportadoras anteriores. Clientes irritados enviaram mais de 113K cartas, o aplicativo alcançou 2,7MM + page views. A campanha inteira gerou mais de 67MM social impressões.

Fazer com que os usuários contribuam para seus esforços de criação de conteúdo tem outra vantagem interessante, pois os consumidores estão mais interessados ​​em ouvir as opiniões de seus colegas do que em ler mensagens de vendas escritas com inteligência.

De acordo com o Bazaar Voice, 64 por cento dos millennials e 53 por cento dos baby boomers querem mais opções para compartilhar suas opiniões sobre marcas, enquanto outros estudos mostram que os consumidores confiam em conteúdo gerado pelo usuário mais do que em outras formas de mídia.

Por que o UGC é tão bem sucedido?

As empresas orientadas para o cliente estão em ascensão porque as empresas precisam constantemente acompanhar as tendências de mudança de seus públicos. Neste mundo acelerado, executado digitalmente, os períodos de atenção podem ser eliminados com o clique de um dedo. Se as marcas não estiverem ouvindo apenas seus clientes, os clientes simplesmente encontrarão outra marca.

Os usuários on-line estão cada vez mais experientes na identificação de empresas que estão usando táticas de marketing viscosas e pouco éticas, e quais estão sendo transparentes e legítimas.

A autenticidade é tão importante no mundo on-line de hoje. Os clientes não são mais os consumidores passivos liderados por comerciais de TV e outdoors. Em vez disso, eles são seletores ativos e querem uma palavra sobre em quem eles fazem e não compram. Mas como eles escolhem de quem comprar? Eles optam por marcas que tenham os mesmos valores que elas, marcas com as quais possam se conectar em um nível pessoal e marcas que "as obtenham".

Uma maneira de os profissionais de marketing se aproximarem do alcance orgânico é através da defesa do cliente. Contando com os clientes e seus seguidores, as marcas atingem os esforços de marketing com mais eficiência. Uma das melhores maneiras de impulsionar a defesa do cliente é por meio do conteúdo gerado pelo usuário.

Transformar seus clientes em defensores por meio do conteúdo gerado pelo usuário pode parecer um desafio, mas a adoção de medidas mensuráveis ​​pode orientá-lo na direção certa. Siga estes cinco passos para começar:

Cinco etapas para começar

Passo 1: Escolha as redes sociais mais eficazes para sua campanha

É extremamente importante não apenas saber onde sua audiência vive em termos sociais, mas onde seus possíveis defensores podem ter mais influência. Você não quer ir direto para o Instagram porque é mais fácil compartilhar imagens com seus clientes.

A rede social escolhida deve se basear em seus objetivos e público-alvo. UMA 2016 Sprout Social Index Descobriu que 75 por cento dos consumidores compartilharão uma experiência positiva com uma marca. Os consumidores também são 70 mais propensos a fazer uma compra com uma empresa depois de uma boa interação.

Isso mostra que, independentemente da rede social, uma boa interação ou uma experiência positiva fazem maravilhas para a sua marca. O conteúdo gerado pelo usuário não precisa ser difícil. É apenas um processo simples de pedir para redirecionar o conteúdo do cliente para sua marca.

Etapa 2: definir metas específicas de conteúdo gerado pelo usuário

Assim como qualquer outro estratégia de conteúdo, seu plano de conteúdo gerado pelo usuário precisa ter metas e diretrizes específicas para funcionar da melhor maneira possível.

De acordo com a SEMRush, 86% de empresas experimentaram conteúdo gerado pelo usuário. O conteúdo gerado pelo usuário, às vezes, gera conversas, aumenta o envolvimento e gera confiança. Mas se usado da maneira errada, este conteúdo terá seus seguidores fazendo as malas e indo embora.

É por isso que você precisa - como qualquer campanha de marketing -criar metas. Aqui estão alguns comerciantes de metas de conteúdo gerados por usuários comuns definidos:

  • Maior engajamento da marca: todos desejam mais curtidas, mas definir o envolvimento como uma meta é inteligente durante as campanhas de UGC. Influenciadores tendem a estimular a conversa com seu conteúdo. Ver mais comentários, gostos e menções aos seus canais mostra sinais de sucesso. Mas você precisa do certo ferramentas de análise de mídia social para avaliar seus esforços!
  • Aumento das taxas de conversão: precisa tranquilizar as decisões de compra dos consumidores? O UGC tem o poder de ajudar os consumidores que estão em cima do muro com o seu produto. Se você estiver em um setor um pouco competitivo, as pessoas farão suas pesquisas. Torne sua prioridade aumentar as conversões com avaliações, exibições de unboxing e aquisições de mídia social para sua campanha.
  • Construindo a confiança da marca: Outro objetivo comum é simplesmente fazer com que as pessoas confiem em você. Se você teve uma má impressão ou está começando de novo, a conscientização da marca através da confiança é um grande objetivo. Então, como você mede isso? O UGC estabelece credibilidade junto aos consumidores, por isso, acompanhe palavras-chave ou frases que você conhece associadas à sua marca. Em seguida, rastreie e meça para ver se as pessoas estão dando um feedback mais positivo sobre o social ou até sobre as avaliações.

  • Educar mais usuários: comece rastreando perguntas e preocupações comuns sobre sua empresa nas mídias sociais. Ao ouvir conversas, você pode avaliar se as mesmas perguntas estão sendo feitas antes e depois da sua campanha de UGC. Influenciadores fazem um ótimo trabalho de cortar e fornecer uma resposta clara.
  • Economize tempo na criação de conteúdo: se sua equipe precisa de mais conteúdo social, o UGC pode ajudar a economizar muito tempo. Ao agregar hashtags, comentários e fotos, você economiza tempo no processo de criação.

Etapa 3: Conte ao seu público qual conteúdo você deseja

Se você não estiver disposto a dizer ao seu público para participar com conteúdo gerado pelo usuário, de que outra forma ele saberá? Deixe claro e específico quais tipos de conteúdo você está procurando e o que melhor se alinha à sua marca.

Quer você esteja pedindo imagens ou pensamentos de clientes, seus defensores precisam da orientação adequada. Sem um objetivo claro e pedido ao público, você pode confundir os usuários ou obter uma tonelada do conteúdo errado.

Tente ser o mais específico possível com as regras e regulamentos da marca em relação ao conteúdo gerado pelo usuário. Se você quiser que as pessoas enviem conteúdo para você, é mais do que provável que elas o façam. Mas quanto disso é útil se você não afirmou claramente o que queria? Também é importante não perder o foco. Se você deseja um estilo específico de conteúdo, não revise ou altere seus planos após alguns dias curtos.

Levar as pessoas a compartilhar conteúdo gerado pelo usuário com você leva tempo. Se você apressar, você pode acabar criando uma experiência negativa. O pior é sem boas orientações ou conteúdo específico, você é extremamente suscetível a trolls da Internet. Certifique-se de verificar as hashtags e suas diretrizes para deixar pouco espaço para erros.

Caso contrário, você está dando aos trolls a chance de usar suas palavras contra você. Simplesmente seja inteligente e leve seu tempo com conteúdo gerado pelo usuário

Etapa 4: concentre-se no aspecto da comunidade e colabore

A melhor coisa sobre o conteúdo gerado pelo usuário é que normalmente gera engajamento. Isso significa que você precisa enfatizar a construção de sua comunidade. Como um gerente da comunidade, você tem que criar uma persona para a marca e conectar clientes e defensores.

O conteúdo gerado pelo usuário oferece a chance de se conectar a novas pessoas por meio de conversas. Seu objetivo é construir credibilidade. E, se isso for feito corretamente, você direcionará os usuários pelo funil de marketing. Uma ótima maneira de fazer isso é usar esportes para conectar diferentes comunidades.

Seus seguidores são extremamente importantes para sua estratégia de mídia social, portanto, trate-os bem. Responda às perguntas, dê reconhecimento, esteja lá durante os lançamentos de produtos e mostre seu lado humano. Os usuários sabem que há alguém sentado atrás da tela, então dê à sua marca uma personalidade envolvente.

Não trate o envolvimento de mídias sociais como uma tarefa, mas sim como uma oportunidade.

Não tome sem pedir

Não é preciso dizer, mas muitas vezes as marcas acham que podem simplesmente tirar fotos de um site e dar crédito ao fotógrafo ou influenciador sem qualquer acordo. Isto está errado.

Sempre verifique se você está de acordo com os usuários antes de compartilhar o conteúdo deles. Como esta história viral vai, não é justo levar o trabalho árduo das pessoas e usá-lo sem pagar ou concordar com algo primeiro.

Isso não significa que você tenha que pagar por cada parte do conteúdo gerado pelo usuário. No entanto, se alguém solicitar um pagamento, você pode trabalhar em um contrato ou procurar usuários que estejam dispostos a negociar pela exposição. Lembre-se sempre de perguntar antes de compartilhar e não fique chocado se eles pedirem dinheiro.

Etapa 5: analisar e medir seus esforços de conteúdo gerado pelo usuário

Já dissemos isso, mas vamos trazê-lo para casa. Se você deseja que sua estratégia de conteúdo gerada pelo usuário funcione, é preciso medi-la. Não importa o que você escolhe para metas ou como você planeja seu ataque, você precisa fazer benchmark.

Com o Sprout Social, você tem ferramentas de análise de mídia social para acompanhar seu engajamento geral com o conteúdo gerado pelo usuário. Se você está postando no Facebook, Twitter, LinkedIn ou Instagram, você tem acesso a relatórios detalhados de audiência.

O UGC está se tornando muito vantajoso para empresas que buscam novas oportunidades para alcançar as massas. Aqui estão algumas oportunidades adicionais que o UGC oferece:

  • As empresas poderiam usar as mídias sociais para branding e criar concursos para que o público enviasse suas próprias criações.
  • Os consumidores e os membros da audiência geral gostam de se envolver. Alguns usaram uma plataforma de contar histórias para compartilhar e conversar com outras pessoas.
  • Para aumentar a conscientização, seja para uma organização, empresa ou evento.
  • Ganhe perspectivas de membros com os quais, de outra forma, não conseguiríamos nos envolver.
  • Personalização do conteúdo divulgado; 71% dos consumidores gostam de anúncios personalizados.
  • E-WOM (boca a boca eletrônica) se espalhará de forma rápida e eficiente com as mídias sociais.
  • Ele incentiva mais engajamento com seus usuários e dobra a probabilidade de que o conteúdo seja compartilhado.
  • Constrói confiança com os consumidores. Com a maioria dos consumidores confiando no UGC sobre as informações fornecidas pela marca, o UGC pode permitir melhores relacionamentos entre a marca e o consumidor.
  • Ele fornece valor de SEO para marcas. Isso, por sua vez, significa que mais tráfego é direcionado aos sites da marca e que mais conteúdo é vinculado ao site.
  • Reassegura decisões de compra que manterão os clientes fazendo compras. Com o UGC, a taxa de conversão aumenta tanto quanto 4.6 por cento.
  • Aumenta a contagem de seguidores em várias plataformas de mídia social.

Por mais difícil que seja aceitar, você não é seu melhor vendedor. Seus clientes são. Saber disso significa priorizar o UGC em dois níveis estratégicos: mídia social e marketing omnichannel.

As marcas que concentram seus esforços não em vender a si mesmas, mas em incentivar seus clientes a vendê-las, podem alcançar o que os métodos tradicionais de marketing falham em construir confiança, ganhar credibilidade e vender mais.

Imagem em destaque

Adi Suja

Adi é o fundador e diretor de crescimento da Growthetics, uma agência de marketing de conteúdo focada no crescimento. Ele ajuda com o crescimento do blog Ecommerce Platforms.